Notícias

Lei proíbe copos e talheres de plástico na cidade de São Paulo até para uso doméstico

Por Agência Brasil, 13/01/2020 às 16:21
atualizado em: 13/01/2020 às 16:27

Texto:

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Marcello Casal Jr/Agência Brasil

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, sancionou nesta segunda-feira a lei que proíbe o fornecimento de copos, pratos e talheres de plástico na cidade. Os itens devem não só deixar de ser oferecidos por bares e restaurantes, como também não estarão mais disponíveis no comércio e em supermercados para uso doméstico. A legislação entra em vigor em 1º de janeiro de 2021.

Ainda neste mês, a prefeitura deve regulamentar a lei aprovada em junho do ano passado que proíbe o fornecimento de canudos plásticos na capital paulista. A Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) também aprovou uma legislação semelhante abrangendo todo o estado.

O autor do projeto, vereador Xexeu Tripoli (PV), disse que 16% do lixo gerado pelo município é de plástico em diversas formas. Na justificativa da proposta, ele defendeu que os copos e talheres descartáveis sejam substituídos por itens de material biodegradável ou reutilizável.

Covas disse que antes mesmo da regulamentação a proibição dos canudos plásticos tem gerado impactos positivos na cidade. “Praticamente não se acha mais canudo que não seja biodegradável ou de outra alternativa na cidade. Muito mais do que a sanção pecuniária ou a fiscalização, a lei transformou a cultura da nossa população”, ressaltou.

Indústria contesta

A Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast) disse que as proibições aos produtos “trazem insegurança jurídica, mexem com a competitividade e o planejamento financeiro das empresas, causando impacto nos investimentos, na geração de empregos e até mesmo na manutenção da atividade industrial”.

A representante da indústria de plástico defende que em vez de proibir, o uso desse produtos seja regulamentado de forma a reduzir o consumo e garantir a reciclagem. “A indústria de transformação e reciclagem de material plástico está disposta a contribuir para a construção de soluções em conjunto”, diz o comunicado da associação.

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    'Eu estou levando minha revolta para um lado de injustiça, eu preciso de uma resposta. Eu guardei tudo no quarto do bebê. Essa dor parece que não vai passar', completa.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O caso foi revelado em primeira mão pela rádio Itatiaia e repercute nacionalmente.

    Acessar Link