Notícias

Falso policial civil é preso após registrar boletins de ocorrência em Belo Horizonte

Suspeito usava senha de agente que já morreu

Por Redação, 14/01/2020 às 08:41
atualizado em: 14/01/2020 às 08:49

Texto:

Foto: Google Street View
Google Street View
00:00 00:00

A Polícia Civil investiga uma comunicação falsa de crime e um suposto policial civil que pode ter registrado diversos boletins de ocorrência. Três pessoas foram encaminhadas para a Central de Flagrantes 2, no bairro Floresta, na região Leste, para depoimentos.

Miriam do Rosário Suque, de 35 anos, pediu a ajuda de um tio para registrar um boletim de ocorrência na noite dessa segunda-feira (13) referente a um celular furtado no último dia 11 na ocupação Rosa Leão, entre Santa Luzia e Belo Horizonte.

O tio a levou a um suposto policial civil, no bairro Liberdade, na região da Pampulha. De acordo com a Polícia Militar, Alcides Antônio da Cruz, de 35 anos, foi quem registrou o BO para a suposta vítima. 

Os militares desconfiaram do fato e a mulher admitiu que inventou o furto para conseguir acionar o seguro do telefone, mas a questão mais complicada é a de Alcides. 

Ele trabalhou entre os anos de 2008 e 2012 como auxiliar administrativo no sistema socioeducativo e decorou a senha de um policial civil que se aposentou em 2008 e morreu em 2012. Desde então, Alcides passou a registrar boletins de ocorrência usando a senha do agente falecido. A PM acredita que ele tenha feito centenas de boletins das mais diversas naturezas. Ele vai responder por falsidade ideológica.

Miriam vai responder por falsa comunicação de crime. 

Escreva seu comentário

Preencha seus dados

ou

    #ItatiaiaNasRedes

    RadioItatiaia

    'Eu estou levando minha revolta para um lado de injustiça, eu preciso de uma resposta. Eu guardei tudo no quarto do bebê. Essa dor parece que não vai passar', completa.

    Acessar Link

    RadioItatiaia

    O caso foi revelado em primeira mão pela rádio Itatiaia e repercute nacionalmente.

    Acessar Link